Icon Icon Segue o meu Pinterest Icon

Crowd Funding Regional

CrowdFunding

Nos dias de hoje o empreendedorismo é algo que está adjacente ao tipo de sociedade vivenciada. Empreender sem dinheiro é o maior desafio da sociedade de hoje.

Se nuns países e para alguns tipos de negócio o micro-crédito até poderá funcionar, para outros o valor disponível nesse micro-crédito não chega nem para metade do investimento necessário.

Atualmente vivencia-se com mais proeminência a utilização do Crowd Funding para o desenvolvimento de novos projetos, quer estes sejam empresariais ou até mesmo culturais.

Como o próprio nome indica – Crowd Funding ou Financiamento do Povo – sendo uma ideia usada desde sempre é hoje algo que, recorrendo às novas tecnologias se encontra mais estruturada e que permite alcançar e envolver um maior número de pessoas.

Neste contexto, sugiro que se comece a desenvolver o contexto de Crowd Funding Regional.

A minha ideia é simples. Quantos de nós já vimos pessoas a bater às portas de nossas casas a pedir um donativo nas vésperas das romarias religiosas existentes por todo um país fora? E que ganho é que nós tiramos desse donativo? Absolutamente nenhum. Nós não escolhemos onde se vai gastar o dinheiro que oferecemos. Assim a minha é simples. Se criarmos uma plataforma que permita que nós possamos festas religiosas e outras situações mas onde possamos especificar que aquele dinheiro não é para a festa toda mas sim para contratar um determinado músico e se a escolha for outra não poderão contar com o meu dinheiro, então creio que vamos todos lucrar com isso. É claro que neste caso, primeiro terá que haver um processo de escolha prévia de nomes de músicos, doação inicial mínima de euro para poder votar na escolha do músico e depois dessa escolha efetuada, os 5 mais votados ficarão numa lista onde o que será escolhido é aquele onde for primeiramente alcançado o valor do seu cachê. Se houver dinheiro disponível no fim do prazo para pagar mais que um cachê poder-se-á contratar mais que um músico para a romaria.

Esta ideia serve para as romarias como para qualquer outra situação. Mas nas romarias o processo é apenas um pouco diferente.

Porém todos nós sabemos que há projetos que se querem regionais e que é sobretudo a região que deve prover o seu impulso inicial.

Deverá ser possível que, no futuro, alguém apresente à comunidade uma ideia de negócio, mesmo que não tenha como a financiar, pelo menos inicialmente. Atualmente existem tantas lojas fechadas, sem nenhuma utilização, fruto duma fase em que a construção civil era um dos fortes setores de fomento de emprego.

Hoje vêm-se estas lojas fechadas e sem utilidade. Será que não poderíamos através do Crowd Funding Regional permitir que o dono de uma loja se permitisse disponibilizar a loja para que aí se desenvolvesse um negócio, mesmo sem conhecer a pessoa que promove o projeto, apenas com a ressalva de obter uma pequena parte dos lucros que esse projeto conseguir alcançar.

Muitos projetos não dão dinheiro logo no início e por isso o medo de muitos é não ter dinheiro para pagar rendas e outros gastos obrigatórios. Se houvesse toda uma comunidade a assegurar, através de pequenos donativos que geram direitos, ou da disponibilização de um espaço que também gera direitos, acredito que muitos negócios e ideias veriam mais facilmente a luz do dia.


Crowd Funding Portugal: